domingo, 13 de dezembro de 2009

O VELHO LIVREIRO...



É um livro original e consequente de uma "espécie em vias de extinção": o livreiro. Neste caso Resendes Ventura, o Manuel Medeiros, da Culsete, de Setúbal, onde se fizeram inúmeros lançamentos de escritores renomados e outros menos conhecidos, todos aí encontraram porta aberta, a afabilidade, o conhecimento e a amizade pela leitura e pelos autores. Não resisto a transcrever, com alguma emoção, as palavras imerecidas que me dedica:

"Uma roda de amigos partilhando a emoção e o sabor das palavras», deixou-nos escrito nesse serão Arlindo Mota. O precioso objecto que é o seu livro de poemas A Seda das Palavras. E o inevitável percorrer dos «percursos percorridos». Haviam passado muitos anos "desde que recebi na redacção da A-Z, num diálogo sobre a colaboração na revista, o activo jovem universitário Arlindo Mota. Como havíamos de advinhar? Setúbal esperava-nos, para aqui fazermos, os dois, o longo percurso que nos trouxe até este serão. Sem consulta prévia, ter-nos-á, este serão, sido (aí)marcado? Para que não duvide, basta apropriar-me de um dos teus versos: «foram destinos aceites»."

1 comentário:

Damião disse...

Nada imerecidas, certamente...