sábado, 14 de fevereiro de 2009

PRESENÇA

Escalámos obscuros portos,

Assinaladas rotas, pesqueiros revisitados

Nas noites de viagens interditas.

No começo foi assim. Com o tempo

retomamos circunspectos a tonalidade.

O arco-íris - dirás? Ainda não.

Serpenteamos desejos, reconhecemos

amantes,

- e tu, em todo o caso, lá estarás -

Por antecipação.




Poema: apm

3 comentários:

mariam disse...

Arlindo,

belos poemas.

é e será um gosto renovado vir aqui. sempre.

bom fim de semana
um sorriso :) e um...até já'
mariam

sofia b. disse...

a poesia é um estado de alma...e um ofício

os seus poemas combinam isso e o fascínio que apela à desocultação...

Joana disse...

Tenho acompanhado os poemas que chegam ao blog...e reencontro uma viagem contínua e partilhada e inquieta

em poemas curtos, depurados...

gosto.