quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

CANÇÃO DOS VELHOS AMANTES























CANÇÃO DOS VELHOS AMANTES
... ao som de Brel


quando tinhas a idade que um dia

hei-de ter sorvias as manhãs

de inesperados aromas

( flores de romã…)


mas tudo tem o seu tempo

(mesmo se o tempo mudou)

como a ladeira de um monte

se desgasta a cada instante

nessa incessante escalada

em que a vida se nos escapa

sempre mais perto do cume

(ou o princípio do nada …)


agora o passado é passado de vez

-flores do deserto em pedra talhada

que o tempo desfez -

(mesmo a mais desejada…)




arlindo mota

foto: arlindo pato mota

4 comentários:

Porta-Sonhos disse...

A memória é o lugar dos lugares

quando tinhas a idade que um dia
hei-de ter sorvias as manhãs
de inesperados aromas
( flores de romã…)

Belo teu poema

Abraço

Joana disse...

Gosto muito do Brel, mais uma razão para amar o teu belo e nostálgico poema...

arlindo mota disse...

A Porta-Sonhos:

lapidar essa afirmação "A memória é o lugar dos lugares"...por isso me veio à memória esse flamengo cáustico e genial que foi Brel e as suas canções. Grato pela companhia. Abraço

arlindo mota disse...

A Joana,

...reconheceste o lugar da fotografia: a bela Brugges, cerca dos lugares onde Brel nasceu. também ela uma cidade melancólica e bela. bj