domingo, 14 de março de 2010

FIXAVA OS OLHOS NUM SÓ PONTO

 
Posted by Picasa


Fixava os olhos num só ponto,

E esse ponto quase não se via,

Como que coberto por um manto

De espesso nevoeiro ou fantasia.


Nem a rudeza do vento,

Ou o saber da razão,

Lhe suspende o pensamento.

Pelo menos, por enquanto.



Arindo Pato Mota

2 comentários:

São disse...

Nesta manhã de domingo cinzenta,gosto de passar por aqui ,fixar o olhar nas palvras que dizem tanto ,qundo se fixa o olhar num só ponto.

Gosto deste escrever,sem grandes floreados ,mas com muitos significados.

Beijo

arlindo mota disse...

busco na aparente simplicidade reenviar à complexidade da nossa interioridade, pensando eu, que as palavras não devem ser um estorvo...
obrigado pelo prazer deste diálogo
bj