domingo, 14 de março de 2010

ANA COELHO: SIMPLESMENTE PALAVRAS

Presença sublime arte de saber com os

verdes anos em olhar filosófico revestidos de

convivência.

Metamorfose de natural simplicidade de ver e

ajudar a engrandecer, com danças de cores no céu pintado de aromas

e graça para além das palavras em ramos de estrelas douradas.

Nesse lugar que teço todos os sentidos que são o

albergue dos olhares que se tocam e cruzam nas marés agitadas

num pontão de quietude

que as domina.

Memórias sitiadas na morada de um inverno na busca

das fragrâncias de primavera que o coração confina.

Renascer de novo, a busca incontida no hexagonal

destino que nos abraça e dá a mão na solidão que voa no longínquo universo.

As pétalas da vida são os dedos do homem que as

acaricia e nos delícia na forma e conteúdo de toda a sua filosofia.

Oferto estas singelas palavras num dialogo de pai e

filho/a
a reflectir no respeito e admiração que teço por si.

Quando eu me for embora por certo guardarei todas

as palavras que sempre por si senti.


Para o poeta Arlindo Mota as suas próprias palavras num singelo acto de carinho.

2 comentários:

São disse...

A Ana conseguio aqui fazer um belissimo texto com a marca e as palavras do escritor.

Uma viagem feita no tempo e na obra,no tempo e n espaço,nas vivencias e nas memórias ,nos caminhos feito de mãos dadas com as palavras e a amizade.

Beijo aos dois.

arlindo mota disse...

Este texto surgiu espontaneamente (num determinado contexto...) feito com muita criatividade e em verdadeiro espírito de amizade (que, de tão raro, é preciso lente de aumentar para ir encontrando ...)

beijo