sábado, 27 de agosto de 2011

ROSTO















ROSTO


Provei em mim o vinho e o mosto

Das épocas festivas que passei

E o travo leve, exíguo, que senti

Era o desenho nítido de um rosto



arlindo mota



Foto: apm(De uma pintura do hall da loja HM em Madrid - antiga sala de espectáculos)

4 comentários:

Canto da Boca disse...

Certos sabores são inesquecíveis e guardamo-los para sempre em nossas memórias...
Textículo intenso e testemunha de um sentimento imenso.

;)

Michelle Manz disse...

Olá veja meu blog também http://www.pensamentosfundamentais.blogspot.com/

OUTONO disse...

A doçura de um recordar magia...

arlindo mota disse...

Obrigado às companheiras (em especial a Canto da Boca, já uma companhia habitual e exigente)) que se interessaram pelo pequeno poema (aliás poemas curtos são de meu especial gosto.

A Outono, gosto em revê-lo bom amigo. O meu silêncio de meses, tem "razões que a razão desconhece"

Abraço para todos!

Vá em frente Michelle se gosta verdadeiramente do que está a fazer!