segunda-feira, 5 de setembro de 2011

PARÁBOLA



Angustiado e humilde, procurou um proclamado sábio cuja fama irradiava por todas as terras e lugares.

Ao chegar junto dele indagou sobre o que lhe poderia ensinar sobre a vida. “Nada” respondeu o sábio”. Nada? “Nada, meu amigo” enquanto esboçava um sorriso inequivocamente bondoso.

O peregrino não satisfeito com a resposta voltou à carga: “Mas tens fama de ajudar os que te procuram e de sempre lhe valeres”.

“Não fui eu que a criei”, ripostou. “Mas diz-me: verdadeiramente ao que vens?”

“Busco encontrar um sentido para a minha vida, e não vislumbro, e mais de meia vida é já tornada”

“Se procuras tão persistentemente algo de tão raro e difícil então não precisas decididamente de conselhos. Apenas tens de seguir o teu caminho, que já o encontraste”.


arlindo mota

foto: apm

6 comentários:

Canto da Boca disse...

A angústia e a busca do peregrino, são intimamente minhas conhecidas.

Pois é, Arlindo, buscar uma causa para a insatisfação, já é um caminho. A resposta continua dentro de cada um, mas nem sempre satisfaz...

Se a minha segunda feira amanheceu reflexiva, continua após a leitura do seu texto.

Uma boa semana e um abraço!

arlindo mota disse...

...de Cervantes,lapidar,a estalagem é melhor que o destino; de Alberti o caminho faz-se ao andar; da sua reflexão-comentário a inteligência e a inquietude.

um abraço. boa semana.

Gisa disse...

Boa reflexão para um início de semana.
Um grande bj

Artes e escritas disse...

Um simples e magnífica reflexão. Um abraço, Yayá.

Luiza França disse...

Perdemos muito tempo procurando respostas para perguntas que nós mesmos criamos. Já percebeu?

Uma vida sem planejamento normalmente gera essa "volta ao mundo em torno de nós mesmo". A resposta normalmente é criada antes da pergunta e está lá dentro de nós silenciada por nossa pouca visão.

Temos a resposta para tudo em nossa vida. O problema é que nem sempre ela nos agrada então procuramos outras que nos satisfaça.

O texto e sugeriu uma reflexão de mim mesma. Isso é o que chamo de eficiência. rs

BJ
Luiza
www.barracodevidro.blogspot.com

arlindo mota disse...

Obrigado Gisa, Artes Escritas, e Luiza França que vieram aqui amavelmente compartilhar reflexões a prtir desta parábola, cujo género me seduz há muito.

abraços
AM