quinta-feira, 11 de agosto de 2011

OBRA DIVINA































Miguel Ângelo, arqueado,

desenhava a obra divina

por suas mãos escorriam

saibro e mel

como se fosse um favo

ou liquido caminho

ali permaneceu longo tempo

para eterna glória do homem

sua criação.



arlindo mota


imagem: da internet

3 comentários:

Artes e escritas disse...

O que me fascina em Miguel Ângelo é a pré-visualização do fim da obra em espaços côncavos e gigantes. Um abraço, Yayá.

arlindo mota disse...

O som e o sentido da obra do pintor e escultor fascinam-me seja qual for a abordagem: partilho da sua observação inteligente no comentário que só a visão in loco permite comprender na sua plenitude.abraço, arlindo

Joana disse...

Leio Miguel Ângelo e relembro Cibele...O poeta é um fingidor!
bjns