quarta-feira, 27 de novembro de 2013

CARTA DE CHAMADA

                                                                                        Foto: apm


CARTA DE CHAMADA

 

O embarque fora breve, quando acordou

as malas há muito repousavam no porão

 

num breve olhar, bífido, sumariou as aves

enquanto relia absorto a carta de chamada

buscando nos mares a rota das gaivotas

 

que sobrevoavam o navio ainda ancorado

estabelecendo imprevisíveis sinapses
como um farol alado sinalizando a costa


arlindo mota

8 comentários:

Mar Arável disse...

Pelo sonho é que vamos
poeta amigo

Por Amor disse...

ARLINDO AMIGO !!! BELO E SUTIL !!! COMO É TEU ESTILO !!! UM GRANDE ABRAÇO E PARABÉNS

Filipe Campos Melo disse...

Se o corpo zarpa rumo ao desconhecido
(na memória que nos chama)
Se vivo permanece o sangue coagulado
(e a escuta nocturna do silvo curso das balas)
então estabeleçamos os parâmetros
as rotas
os sinais
o caminho de regresso à casa
(da poesia)

Belo e profundo
como sempre tua escrita é

Abraço

arlindo mota disse...


Para MAR ARÁVEL,

Poeta amigo? pois gosto desse tratamento: é duplamente gratificante...

arlindo mota disse...


a POR AMOR,

Grato pelo comentário amável e pela persistência de leitor. abraço

AM

arlindo mota disse...


a FILIPE CAMPOS MELO,

belo e profundo sim o poema que tiveste a amabilidade de publicar aqui e que aqui te peço que o publique autónomo no corpo do blogue. de acordo? abraço

AM

OUTONO disse...

...o sonho comanda a vida, escrevia-se num apelo poético magnífico!
Partilho sempre, esse saber de Gedeão...e desta poesia, que me enche!
Abraço!

mariam [Maria Martins] disse...

Belo [de ler],
Difícil [de analisar]!
... mas, para espíritos inquietos, eterna é a busca e o sonho também...
Beijinhos :)
mariam