terça-feira, 1 de novembro de 2011

MAR ADENTRO























Metódica, Cibele colhia a escassa chuva

na concha das suas mãos vazias.


Com os dedos esguios, habilmente, entrelaça-a,

pingo a pingo, como se fora um colar. Por fim,

esbelta e delicada, afoita-se, por entre o

agreste das aroeiras,mar adentro, oceano acabado

de lavrar.



arlindo mota

3 comentários:

Gisa disse...

Linda imagem e delicadas palavras
Um grande bj

arlindo mota disse...

Olá Gisa, tanto mar, como diria o Xico. bjs

Paulinha Barreto disse...

te desejo maravilhosa sexta e um ótimo final de semana, beijos