quinta-feira, 21 de outubro de 2010

ENTRE PORTOS PALAFITAS


























ENTRE PORTOS PALAFITAS

os corpos passadiços sugados pelo tempo

sobre as águas rumorejando quando em vez

anunciavam algazarras as chegadas e partiam

no silêncio das marés


ali cevei em mim uma roseira

as pétalas pegadas que deixei

meia-lua à espera à tua beira


quando o tempo nos consome

e nada mais se divisa por diante

é pura eugenia a minha fome



arlindo mota

foto: arlindo pato mota

8 comentários:

Joana disse...

Lindíssimo poema Arlindo "ali cevei em mim uma roseira/as pétalas pegas que deixei/meia-lua à espera à tua beira"...vai para os meus favoritos!

arlindo mota disse...

...estamos mesmo entre "portos palafitas" (o rumojerar das águas traz-nos um pouco de tranquilidade entre as tempestades (re)criadas...
grato pela visita

Coluna Dos Deuses disse...

A única forma de te ler foi abraçar a tua página.

Sempre um prazer passear por aqui e encontrar palavras capazes de fazerem sempre um pouco mais feliz este teu amigo que te abraça com grande admiração.

JLL

arlindo mota disse...

Sempre existe alguma coisa boa nas limitações...
Obrigado pela visita e pela amizade (obviamente correspondidas)
E esta é a fase pior...apetece desistir que isto de Bolonha é mais uma fraude...Antes a dos poetas!
Até breve!

mariam disse...

Arlindo,

Além do poema LINDÍSSIMO, li também os comentários, o que diz é tão verdade "Sempre existe alguma coisa boa nas limitações..."

beijinhos :)
mariam


Nota: Com pena, não pude estar presente no lançamento do livro da Conceição Gonçalves (Sãozinha), gostei de ver as fotos do evento... :)

arlindo mota disse...

...resolvi dar a mim próprio um pouco mais de tempo, que continua exíguo...
gostei que tivesse vindo cá; a São Gonçalves merecia aquela alegria partilhada; e todos nós merecemos a seda das palavras e dos gestos...
"repristinei" uma foto da mariam (um mimo que me endereçou) bjs :)

Natalia Nuno disse...

Vim visitar a Seda das Palavras,
povoar-me de luz, enriquecer-me com a leitura e deixar-lhe um abraço.

natalia nuno

arlindo mota disse...

e fez bem Natália, pois aqui como diz a canção de um homem e autor que muito admiramos "seja bem-vindo quem vier por bem" (Zeca Afonso)
gostei muito de a ter por cá...bj